BLOG

Saiba como aprimorar a gestão de estoque e armazenamento na agricultura

O estoque e o armazenamento na agricultura estão sujeitos a vários riscos, causando prejuízo, caso não haja uma gestão adequada.

Cuidados no controle de qualidade são fundamentais para evitar a contaminação dos alimentos e o desperdício

O agronegócio é um dos principais setores da economia brasileira e atualmente representa cerca de 26% do nosso PIB. Produtos como soja, milho e café estão entre os 10 mais exportados do país e a produção nacional desses e de outros produtos agrícolas está em franca expansão.

Nesse cenário, aumenta a responsabilidade dos gestores agrícolas para manter o elevado padrão de qualidade dos alimentos, inclusive na armazenagem desses produtos, que, no caso dos grãos, por exemplo, chegam a ficar meses em silos.

Para falar sobre o assunto, antes de tudo, é necessário entender que há dois conceitos distintos na área agrícola: estoque e armazenagem.

  • Estoque: é chamado de estoque a guarda dos produtos e matérias-primas utilizadas no processo de plantação, como fertilizantes, adubos, sementes e outros insumos, e até mesmo utensílios e equipamentos de uso diário.
  • Armazenagem: é quando o alimento já foi colhido e é mantido armazenado até que seja transportado para comercialização. Esse armazenamento pode ocorrer em armazéns ou em silos.

Por que é importante gerenciar os estoques e a armazenagem?

O principal fator que justifica o controle dos estoques e da armazenagem é o dinheiro. Produtos parados podem se deteriorar rapidamente se não forem mantidos e conservados em locais previamente pensados para isso e, nesse caso, acabarão sendo descartados. Essa perda da produção ou de insumos impacta diretamente o faturamento do negócio.

Quais são os principais problemas causados pela má gestão do estoque ou da armazenagem agrícola?

Como vimos, as condições do espaço físico onde os produtos são armazenados ou estocados podem contribuir para que haja prejuízo financeiro, no entanto, outros fatores também favorecem a perda.

No caso do estoque, por exemplo, caso não haja um controle rígido e as necessidades de cuidado diferentes para cada tipo de produto não sejam controladas, há risco de:

  • Vencimento dos insumos;
  • Surgimento de mofos e bolor nas embalagens decorrentes da umidade, inviabilizando o uso da matéria-prima;
  • Não atender aos cuidados necessários para estoque de produtos com necessidades diferentes, como temperatura do ambiente e luminosidade;
  • Perda ou avarias causadas no transporte do estoque até a plantação, e vice-versa.

 Já nos armazéns, há necessidades específicas de conservação para cada tipo de alimento, que se não forem adequados, há o risco de:  

  • Contaminação dos alimentos;
  • Surgimento de fungos decorrentes da umidade;
  • Entrada e presença de insetos e roedores;
  • Rápida deterioração e amadurecimento, dependendo do alimento;
  • No caso de sementes, há o risco de germinação antecipada em silos.

Ações para aprimorar a gestão de estoque e armazenamento na agricultura

Para evitar que os riscos citados acima de fato aconteçam e ainda otimizar espaço, tempo e reduzir custos, um conjunto de ações podem ser adotadas na gestão do estoque e do armazenamento. São elas:

  • Utilizar um software de gestão: o uso de recursos tecnológicos na agricultura oferece uma série de vantagens, entre elas assertividade e confiabilidade. A chance de erros na contabilização do estoque ou dos produtos armazenados é grande quando realizada de forma manual. Há no mercado softwares de gestão específicos para o agronegócio e que podem contribuir nesse sentido.
  • Trabalhar com estoque mínimo: outro item muito discutido na gestão de estoques é reduzir a quantidade de itens. Assim, evita-se manter o produto exposto aos riscos por mais tempo, além de contribuir para o fluxo de caixa, já que não será preciso investir grandes valores de uma única vez e manter insumos parados por muito tempo.
  • Realizar inventários e conferência de entrada e saída: com a ajuda do software de gestão, será possível monitorar com mais precisão os itens de estoque e até mesmo alimentos armazenados. Dessa forma, será mais fácil calcular se está havendo perdas, qual o percentual e por que motivos está ocorrendo.
  • Realizar manutenção no espaço físico: o espaço físico destinado ao estoque e armazenamento deve ser sempre mantido em excelente estado de conservação, seja por questões de higiene, seja para conservar os produtos e insumos pelo tempo que for necessário. Frestas, rachaduras na cobertura e falta de iluminação, por exemplo, são propícios para entrada de umidade, vetores e surgimento de protozoários.
  • Atentar-se aos fatores climáticos: algumas regiões do país têm condições climáticas que podem ser desfavoráveis, seja no quesito umidade seja na temperatura. Observar esse fator é fundamental para que possam ser buscadas soluções em climatização e desumidificação do ar.
  • Cuidar com as questões sanitárias: por fim, estar atento às legislações e adequar os processos seguindo as RDCs da Anvisa e normas regulamentadoras ajuda a manter o estoque e armazenagem dentro de padrões de qualidade adequados. Uma dica é criar um checklist com esses itens e realizar auditorias constantes, evitando surpresas durante fiscalizações das autoridades sanitárias e possíveis pagamentos de multas.

Solução em desumidificação de ar no estoque e armazenagem na agricultura

A Bry-Air Brasil lançou recentemente sua mais nova solução em desumidificação de ar de grande vazão para ambientes como o de estoque e armazenagem agrícola. Trata-se do Desumidificador FFB 4500.

Esse equipamento permite maior controle do nível de umidade do ambiente e funciona com a tecnologia dessecante de alta durabilidade, eliminando o excesso de água do ar e desprezando-a na área externa do estoque ou armazenamento.

Para mais informações sobre o produto, acesse o link do site: https://conteudo.bryair.com.br/ffb-4500-lancamento

Nós usamos cookies para personalizar anúncios, melhorar sua experiência no site, desempenho e segurança. Para saber mais acesse nossa Política de Privacidade.